“Eu quero a sorte de um amor tranqüilo
Com sabor de fruta mordida
(…)
Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum remédio que me dê alegria”

 

(Cazuza)

Anúncios